Fundo Global para a Sustentabilidade das Pescas

O Fundo Global para a Sustentabilidade das Pescas (GFSF) apoia a pesquisa científica e projetos de na área das pescas em todo o mundo. O MSC lançou o fundo em Julho de 2015 com uma alocação inicial de de £400,000, dividido em dois anos.

O que financiamos

O GFSF financia investigação que contribua para fortalecer o conhecimento e a capacidade de apoio à pesca de pequena escala e à pesca em países em desenvolvimento, no seu percurso de obtenção da certificação MSC. 

O MSC está disponível para analisar candidaturas que possam beneficiar mais do que uma única pesca e que:

 

  • Apresentem investigação científica que aborde a falta de informação, as barreiras tecnológicas e de gestão encontradas pelas pescarias aquando do cumprimento do Padrão de Pesca do MSC.
  • Aumentem a capacidade do pessoal técnico para auxiliar as pescas de pequena escala e as pescas nos países em desenvolvimento, no seu processo de melhoramento e na obtenção da sua certificação.
  • Apoiem directamente os melhoramentos a nível ambiental, informativo e de gestão nos países em desenvolvimento e nas pescas de pequena escala. 
  • Apoiem as pescas na aplicação da ferramenta de avaliação comparativa do MSC, bem como outras ferramentas existentes para a melhoria da pesca.

Quem se pode candidatar?

O fundo está aberto a instituições académicas, investigadores independentes, empresas de pesca, organizações governamentais e organizações não governamentais. O  MSC procura activamente o apoio e contribuições de terceiros de modo a aumentar a escala global do fundo e as potenciais subvenções disponíveis para os candidatos.

O WWF no Triângulo dos Corais está comprometido a trabalhar com o MSC no sentido de tornar o programa cada vez mais acessível às pescas nos países em desenvolvimento. Estamos entusiasmados por nos ser permitido com este financiamento do MSC, criar experiência no país através da criação de projetos de melhoria de pesca robustos e com uma boa relação custo-benefício, para que nos seja possível atingir esse objectivo

Geoffrey Muldoon, Gestor Senior WWF’ Triangulo de Coral

Como se candidatar

As candidaturas para o fundo de financiamento de 2017 já se encontram fechadas.

Por favor envie um email para GFSF@msc.org com qualquer dúvida ou para ser notificado da abertura do fundo de 2018.

Fundo Global de Sustentabilidade das Pescas: Vencedores

O Fundo Global de Sustentabilidade das Pescarias do MSC (GFSF) apoia pesquisas e projetos de investigação no âmbito das ciências pesqueiras.

Os destinatários de 2017 são

China: Aliança de Processamento e Marketing de Produtos Aquáticos (CAPPMA)

Pesca: Lagostim, Rio Yangtze

Visão geral: a China produz dois terços dos lagostins a nível global. A Aliança de Processamento e Marketing de Produtos Aquáticos (CAPPMA) e parceiros, incluindo o IKEA, irão trabalhar com a pesca de lagostins nas províncias de Jiangsu e Hubei, bem como no ecossistema do Rio Yangtze, num projeto-piloto de modo a envolver as pescarias de pequena escala com o programa MSC e poder fornecer o mercado global com lagostins capturados de modo sustentável.

He Cui, Presidente da CAPPMA afirmou: “A CAPPMA, assim como a Associação Nacional de Pesca da China, com o apoio deste prémio do IKEA e da delegação do MSC na China, irá trabalhar com os intervenientes locais para levar a  indústria do lagostim no caminho do desenvolvimento sustentável, para melhorar as práticas desta pesca de pequena escala, e para demonstrar a harmonização dos meios de subsistência, dos efeitos ecológicos e sociais para a pesca de pequena escala. ”

Centro de Pesquisa ECOS e o Comitê de Produtividade Anchud Mudcrab

Pesca: Caranguejo de pedra, Chile

Visão geral do projeto: O Chile possui um grande e diversificado setor de pesca artesanal, operando com cerca de 141 espécies. O Centro de Pesquisas ECOS e o Comitê de Produtividade Anchud Mudcrab receberam pela segunda vez o financiamento do GFSF e irão projectar e implementar um plano de acção de melhoria da sustentabilidade da pesca artesanal de caranguejo em Los Lagos, Chile. Este projeto-piloto fornecerá uma estrutura para que outras pescarias artesanais chilenas possam trabalhar em prol da sustentabilidade e da certificação MSC.

Miguel Espíndola do Centro de Pesquisa ECOS disse: “Esperamos que, com o desenvolvimento deste projeto, sejamos capazes de criar uma rede de apoio para sistematicamente trabalharmos na melhoria da pesca, de modo a ser reconhecida mundialmente como sustentável. Além disso, esperamos que estes esforços melhorem as escolhas comerciais dos pescadores artesanais envolvidos.”

Centre para o Meio Ambiente, Pescas e Ciências da Aquacultura (CEFAS)

Pesca: Isca, Indonésia  

Visão geral do projeto: a Indonésia é o maior país de pesca de atum do mundo. O CEFAS, o Centro de Meio Ambiente, Pesca e Ciência da Aquicultura, trabalhará com parceiros, incluindo a Fundação Internacional Pólo e Linha (IPNLF), para desenvolver a capacidade da ciência pesqueira e levar a cabo avaliações dos stocks de pequenas pescarias pelágicas na Indonésia, que fornecem isca para a pesca à linha do atum.

Piera Carpi, CEFAS disse: “Sustentabilidade, consciencialização e transferência de conhecimento serão os principais objetivos deste projeto: uma oportunidade única de ajudar a pesca local a melhorar a qualidade dos seus produtos, garantir a exploração sustentável de seus pequenos stocks de pelágicos e ajudar a comunidade científica a desenvolver um programa de longo prazo para a gestão dos seus recursos marinhos. ”

WWF-India

Pesca: Isca para peixe e atum, Lakshadweep

Visão geral do projecto: Embora as exportações de produtos do mar da Índia se encontrem num nível recorde, há apenas uma pescaria certificada pelo MSC na região. O WWF-Índia criará planos de gestão e acções de pesca para garantir a sustentabilidade, tanto da pesca com isca quanto a pesca do atum em Lakshadweep, na Índia, uma região que depende da pesca como fonte de rendimento e como fonte de alimento.

Vinod Malayilethu, WWF-India disse: “A pesca de linha e vara do atum bonito é uma das poucas práticas de pesca sustentáveis no Oceano Índico Ocidental Norte e é uma importante fonte de subsistência para os pescadores nas ilhas Lakshadweep. Estou muito entusiasmado em receber os fundos do MSC, pois ajudarão muito a lidar com as lacunas identificadas durante o processo de pré-avaliação do MSC e nos ajudará futuramente a certificar esta pescaria pelo MSC. ”

Trabalho em Rede sobre Políticas de Pesca na África Ocidental (REPAO)

Pesca: Polvo, Senegal 

Visão geral do projeto: O Senegal passou muitos anos a melhorar a sustentabilidade e a gestão da sua pesca do polvo. O Trabalho em Rede sobre Políticas de Pescas na África Ocidental (REPAO), em parceria com a Direcção de Pesca Marinha, vai basear-se nas conquistas da gestão sustentável da pesca de polvo artesanal e industrial no Senegal, para realizar pré-avaliações e desenvolver planos de acção para a certificação MSC.

Papa Gora da REPAO disse: “Sentimos alegria e entusiasmo quando o MSC nos notificou sobre a escolha da nossa proposta para beneficiar desta subvenção do FGSF. Faz exactamente dez anos desde que começámos a trabalhar para a certificação dos produtos da pesca artesanal! Este é um desafio importante, pois percebemos que os produtos da pesca não sustentáveis terão uma participação de mercado muito limitada nos próximos anos. A certificação sem produtos pesqueiros artesanais ameaçaria o acesso ao mercado de produtos da pesca originários de países em desenvolvimento, especialmente do Senegal. A obtenção deste financiamento para a pesca de polvo no Senegal é uma grande oportunidade para tornar possível a elegibilidade deste produto para a certificação MSC ”.

The 2016 recipients

Blue Ventures

Pesca: Pesca do polvo em Madagascar

Projecto: Implementação de actividades em projetos de melhoria de pesca (FIP)

Visão geral do Projecto: O sudoeste de Madagascar é uma das regiões mais pobres do país. As comunidades nas regiões costeiras têm poucas alternativas económicas para além da pesca. A pesca do polvo é o sustento económico de cerca de 80.000 pescadores de pequena escala, dos quais mais da metade são mulheres.

A economia pesqueira de Madagascar é fundamental para a subsistência e segurança alimentar de mais de 250.000 pessoas. A Blue Ventures trabalha em locais onde o oceano é vital para as culturas e economias locais, e está comprometida em proteger a biodiversidade marinha de forma a beneficiar as populações costeiras. A organização usará o seu financiamento do Fundo Global de Sustentabilidade das Pescas do MSC (GFSF) para implementar as actividades do FIP na pesca do polvo, e explorará a aplicação de métodos limitados de avaliação e gestão de dados.

Programa WWF no Triângulo de Coral

Pesca: Caranguejo do Vietname e Indonésia e molucos.

Projecto: Programa de treino em capacitação e desenvolvimento do âmbito e do plano de acção dos projetos de melhoria de Pesca (FIP)

Visão geral do Projecto: Os produtos do do mar capturados pela pesca comercial são consumidos em todo o mundo, e fornecem a principal fonte mundial de proteínas de qualidade. A pesca nos países em desenvolvimento continua a ser uma fonte importante de produtos do mar para os mercados em todo o mundo.

Embora estas pescarias sejam vitais para a segurança alimentar e para o desenvolvimento económico, muitas são geridas de forma insustentável. A deficiência de dados, a falta de estruturas de gestão e a falta de recursos mostram que a maioria das pescarias dos países em desenvolvimento precisa de melhorar significativamente de modo a ir ao encontro dos critérios internacionais de sustentabilidade e beneficiar do crescente mercado de produtos do mar sustentáveis. Um obstáculo significativo na ampliação dos melhoramentos dos esforços de pesca nestas pescarias continua a ser o custo do desenvolvimento dos FIPs contra o padrão MSC.

O Programa do WWF no Triângulo dos Corais usará o seu subsídio para realizar um programa de capacitação com vista a treinar peritos no país para que possam realizar avaliações de FIP e pré-avaliações do MSC no Vietname e na Indonésia de um modo mais económico, mantendo a qualidade nos processos dos FIP.

Anchud Mudcrab Productivity Committee

Fishery: Chilean mud crab artisanal fishery

Project overview: MSC pre-assessment and training.

This project will use the GFSF grant to gain understanding into the likely barriers to certification of this Chilean artisanal fishery. It aims to build awareness of MSC requirements among stakeholders and undertake a pre-assessment of the fishery.

WWF Japan

Fishery: Manila clam, China 

Project: FIP implementation of Manilla clam fishery in the Yellow Sea Ecoregion

Project overview: One of WWF Japan’s focal projects is conserving the Yellow Sea Ecoregion (YSE), surrounded by China and the Korean Peninsula.

Local people in China, Korea and Japan highly depend on seafood from the YSE. In China, bivavles targeted by coastal in the YSE are a staple for local people. Manila clam, in particular, sustains the lives of a large number of people living not only in China but also in neighbouring countries. Thus it is a key contributor to regional food security.

WWF Japan will use its share of the grant to implement a FIP for the enhanced Manila clam fishery in the YSE, which could lead to major environmental benefits in the globally important mudflats as well as sustainable Manila clam production and consumption.

Masyarakat Dan Perikanan Indonesia Foundation

Fishery: Indonesia tuna fisheries

Project: Risk assessment of tuna supply chains in Indonesia.

Project overview: Indonesia is one of the leading producers of wild capture fish and is the biggest tuna-producing country in the world. Yet, like in many developing world fisheries the country has challenges in trying to move its fishing sector to become more sustainable. As a big tuna exporter, Indonesia’s tuna supply chains need to improve in order to be considered sustainable and transparent.

Masyarakat Dan Perikanan Indonesia Foundation (MDPI) was founded in July 2013 with a focus on small-scale artisanal fisheries. They support fishing communities and fisheries supply chains to move towards sustainability.

MDPI, together with its partners Asosiasi Pole and Line dan Handline Indonesia (AP2HI), UNIDO Indonesia and the International Pole and Line Foundation, will use funding from the GFSF to prepare a risk assessment of small scale tuna supply chains in Eastern Indonesia, aiming to gather much-needed information and recommendations on how to achieve compliant Chain of Custody approaches within that sector and in the region.

WWF Guianas

Fishery: Suriname coastal artisanal fishery; multi species, multi gear

Project: Involving fishermen in a rapid and conceivable assessment of fish stocks: LB-SPR models applied to small-scale artisanal fisheries in Suriname

Project overview: Suriname is located in the north-eastern part of South America, facing the Atlantic in the North and bordering Brazil in the south. It is part of the Guianas, with Guyana on its western border and French-Guiana on the east. Most of the country is covered by tropical rainforest, harbouring a great diversity of flora and fauna.

Fishing is an important economic activity in Suriname. The Surinamese fishing sector is estimated to directly employ nearly 10,000 people and generate some 40, 000 tonnes of wild captured fish and shrimp annually. The artisanal fleet is the most important fishing sector in Suriname, accounting for 60 to 70% of the landings, generating most of the employment and delivering fresh fish to the local market.

There are many signs that the coastal artisanal fishing fleet in Suriname is overfishing target species, yet there is no scientific data on the stock status of the exploited species.
WWF Guianas will therefore use its grant award to apply data limited assessment and anagement methodologies to the Suriname coastal artisanal fishery, and will contribute to the MSC’s wider initiative that will allow data limited fisheries to demonstrate that they meet the MSC's sustainability requirements.

 

 

Find out more

Why get your fishery MSC certified?

Why get your fishery MSC certified?

MSC certification confirms your fishery is well-managed and is sustaining seafood resources and fishing livelihoods for future generations.

Find out more
Our Developing World Program

Our Developing World Program

Our Developing World Program aims to ensure the MSC program and its benefits are accessible to all fisheries, regardless of size or region.

Find out more
  • '{{item.Image.Title}}', {{item.Image.Artist}}, {{item.Image.Description}}