Sobrepesca, pesca ilegal e pesca destrutiva

Quando muitos peixes são capturados e não existem adultos suficientes para reproduzir e sustentar uma população saudável, considera-se que a população de peixes está sobreexplorada.

Sobrepesca

No início dos anos 90, o impacto da sobrepesca foi uma preocupação crescente, culminando nos efeitos devastadores do colapso da pesca de bacalhau nos Grandes Bancos em 1992. De um dia para o outro, mais de 35.000 pescadores e trabalhadores fabris, de mais de 400 comunidades costeiras, perderam os seus trabalhos.

O evento catastrófico foi um dos catalisadores para a criação do MSC e do nosso Padrão de Normas de Pesca Sustentável – hoje em dia o padrão mais reconhecido mundialmente para pescarias sustentáveis e bem geridas

Pesca ilegal

A pesca ilegal, não regulamentada e não declarada (IUU, em inglês) contribui para o problema da sobrepesca, uma vez que estas práticas não cumprem a legislação existente, operando sem qualquer preocupação pelo ambiente ou pelas rigorosas quotas de pesca regulamentadas.

Estimada em cerca de $10-23.5 biliões de dólares americanos, a pesca IUU ameaça a sustentabilidade das populações de peixe e dos ecossistemas, bem como a subsistência daqueles que pescam legalmente.

O programa do MSC ajuda a eliminar a IUU pois não permite que as empresas com estas práticas sejam avaliadas para obter a certificação. Também não podem ser certificadas aquelas empresas que embora não pratiquem IUU, esta é levada a cabo por terceiros e tem um impacto negativo na sustentabilidade geral de toda a pescaria.

O caso da merluza-negra (ou Robalo Chileno) é um bom exemplo de como as pescarias estão a deixar de praticar a IUU. Durante muitos anos, a pesca desenfreada IUU estava a contribuir para o declínio desta espécie de elevado valor comercial. Hoje em dia, ações decisivas levadas a cabo por seis das maiores empresas pesqueiras da merluza-negra – representando cerca de 50% da população mundial – virtualmente eliminaram a IUU do Oceano Antártico, o que levou a uma recuperação significativa das populações e, por fim, à certificação MSC da pescaria.

Descobre mais sobre merluza-negra

Pesca Destrutiva

Algumas das práticas de pesca mais destrutivas incluem a pesca com cianeto e aquela onde recorrem ao uso de explosivos.

Ainda praticada em alguns países, o cianeto é usado para anestesiar os peixes tornando mais fácil a sua captura. Noutros locais, explosivos como por exemplo, a dinamite, são utilizados para matar os peixes de modo a que estes passem a flutuar à superfície e possam ser facilmente recolhidos por redes.

O programa MSC não permite o uso de cianeto nem explosivos.

Descobre mais acerca da nossa abordagem

 

Leia mais

O nosso propósito

O nosso propósito

Todos queremos um futuro saudável para os nossos oceanos. Como consumidores de peixe e marisco, todos nós podemos desempenhar um papel fundamental para alcançar este futuro sustentável, sem precisarmos de evitar o consumo destes produtos.

Saber mais
O nosso impacto coletivo

O nosso impacto coletivo

Há mais de 20 anos que pescadores, cientistas, consumidores e indústria integram um esforço coletivo com vista a assegurar que os nossos oceanos são pescados de forma sustentável.

Saber mais
O que é a pesca sustentável?

O que é a pesca sustentável?

A pesca sustentável é a atividade que respeita os habitats e o ecossistema, deixa peixes suficientes no mar para que possam continuar a sua reprodução e garante a subsistência das pessoas que dependem da pesca.

Saber más
  • '{{item.Image.Title}}', {{item.Image.Artist}}, {{item.Image.Description}}