Comunicados de imprensa

O consumidor, arquiteto do recorde histórico de vendas de produtos da pesca sustentável em 2020-21

outubro 4, 2021

A dinâmica por detrás do movimento da pesca sustentável continua a crescer, segundo o Marine Stewardship Council (MSC), a organização internacional sem fins lucrativos responsável pelo rótulo ecológico de produtos do mar sustentáveis mais amplamente utilizado no mundo, com base em ciência. Apesar dos transtornos causados pela pandemia da Covid-19, os consumidores compraram um número recorde de produtos com o selo azul do MSC em 2020-21.

Os novos números divulgados hoje como parte do relatório anual do MSC mostram que o volume de produtos do mar sustentáveis certificados independentemente e vendidos com o selo do MSC aumentou quase 6% entre abril de 2020 e março de 2021. No total, foram vendidas 1 267 000 toneladas de produtos do mar com o selo do MSC em todo o mundo, em comparação com as 1 197 000 toneladas do ano anterior.

Os tipos de peixes e mariscos populares durante os confinamentos da Covid-19 registaram alguns dos maiores aumentos. As vendas de produtos do mar congelados com o selo do MSC cresceram 26% – o maior aumento global. Por sua vez, as vendas de conservas de peixe com o selo do MSC aumentaram cerca de 4% em todo o mundo, graças, em parte, a um aumento homólogo de 50% nas vendas de produtos à base de atum com o selo do MSC, o que coloca as vendas mundiais no bom caminho para atingir as 110 000 toneladas por ano.

Na origem destes aumentos está uma crescente consciencialização dos consumidores para a necessidade de proteger os nossos oceanos [1], associada a mudanças nos hábitos de compra durante a pandemia e ao compromisso cada vez maior das marcas de produtos do mar a favor da sustentabilidade. Em Portugal, em particular, as vendas de produtos do mar sustentáveis com o selo azul do MSC aumentaram cerca de 27% graças ao compromisso das 59 empresas com a Cadeia de Custódia, assim como as grandes superfícies e retalhistas nacionais.

O aumento da disponibilidade e da venda de produtos do mar sustentáveis foi respaldado pelo crescimento da oferta. O relatório mostra que, apesar das enormes interrupções nas suas operações, mais pescarias e organizações da cadeia de abastecimento foram certificadas para capturar e manusear produtos do mar certificados pelo MSC em 2020-21. O número de pescarias certificadas pelo MSC aumentou para 421, agora coletivamente responsáveis por 14% de todas as capturas marinhas selvagens. O ano testemunhou também um aumento de 5% no número de organizações, tais como supermercados, restaurantes, transformadores, distribuidores e armazéns, com certificação do MSC para manusear, transformar e embalar produtos do mar [2]. A nível mundial, estas organizações operam atualmente em mais de 46 200 locais.

Laura Rodríguez, diretora do programa MSC para Espanha e Portugal, afirmou: «O crescimento do programa do MSC sobre o pano de fundo da pandemia é um sinal da força do movimento dos produtos do mar sustentáveis. Apesar dos desafios sem precedentes, mais pescarias tornaram-se certificadas segundo o Padrão de Pesca do MSC, mais marcas estão a assumir compromissos audazes e mais consumidores continuam a comprar pescado de fontes sustentáveis.  

Mas os desafios são cada vez maiores. Demasiados governos continuam a colocar os interesses a curto prazo à frente da sustentabilidade. E, globalmente, o nível de sobrepesca continua a aumentar. Esta inércia institucional está desfasada do crescente ativismo público em torno dos oceanos. A pandemia aumentou a sensibilização para a necessidade de proteger os nossos valiosos recursos naturais. Apelamos aos governos para que aproveitem este momento como uma oportunidade para apoiarem a pesca sustentável e as empresas de produtos do mar, comprometendo-se a adotar medidas que salvaguardem as nossas populações de peixes.»

Apesar dos progressos apresentados no relatório, o MSC sublinha que ainda é necessária uma ação urgente para superar os desafios que os oceanos enfrentam. O relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) sobre a situação mundial das pescas e da aquicultura State of World Fisheries and Aquaculture 2020 revelou que a sobrepesca continua a aumentar, com mais de um terço (34%) das populações de peixes mundiais atualmente sobre-exploradas.

O relatório do MSC salienta que os governos não conseguiram chegar a acordo para pôr fim aos subsídios prejudiciais à pesca, um dos principais motores da sobrepesca, e que, até à data, não conseguiram chegar a acordo sobre as quotas para a cavala, o arenque e o verdinho no Atlântico Nordeste. A sustentabilidade futura dos stocks mundiais de atum está também em perigo se as comissões internacionais responsáveis pela gestão do atum não definirem estratégias de captura sólidas. O MSC apela a uma ação urgente para enfrentar estes desafios.

Leia o Relatório Anual 2020-21 do MSC: Reconhecer e recompensar a pesca sustentável.

Referências

  1. Inquérito mundial ao consumo de peixe e marisco em 2020, MSC
  2. A 31 de março de 2021, havia 5391 titulares de certificados da Cadeia de Custódia do MSC, em comparação com 5158 a 31 de março de 2020. Esta certificação assegura que os peixes e os mariscos certificados pelo MSC são mantidos separados dos produtos do mar não certificados e que estão claramente rotulados. 
  • '{{item.Image.Title}}', {{item.Image.Artist}}, {{item.Image.Description}}